segunda-feira, 31 de março de 2014

Um mar



Diante deste mar estou.
Coração, barco a deriva,
levado pelas correntes de meus nada simples sonhos.
A esperança projeta seu reflexo sobre a água.
Força eu faço para reconhecer a miragem.
Mas, dane-se: É bem nítido que, se for sonho, prefiro não acordar.
Ao lançar minha rede de anseios, vejo-me pescador de sonhos.
E estes voam rasantes sobre o espelho hídrico, que, às vezes, 
sega-me por instantes, ao refletir seu olhar.
Dá ancora me desfiz há tempos.
Pois não tenho medo de perder o rumo neste mar que estou.
Certo eu de que, como disse o poeta:
“Um pescador tem dois amor.”
Um é te querer e o outro é te sentir.
Banho-me nessas águas a espera de um sonho.
Pois o pescador também ama,
Pois, eu pescador te amo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário